Treinos rápidos e de alta intensidade são opções para quem tem pouco tempo livre

Mães com Estilo - Mãe Gourmet - Estúdio Folha

Além da curta duração, os exercícios mais procurados são aqueles que utilizam o peso do próprio corpo

Está em curso uma revolução nos conhecimentos sobre a fisiologia do exercício físico. Atualmente, os especialistas não se dedicam a desvendar apenas o que acontece com o organismo durante a atividade, mas, sobretudo, depois dela. E, conforme os estudos mais recentes, não há treino mais impactante do que o de alta intensidade e curta duração, conhecido pela sigla em inglês HIIT ("High Intensity Interval Training").

De modo geral, o método fundamenta-se na alternância entre esforços de alta e baixa intensidades, segundo Eduardo Netto, diretor técnico do Grupo Bodytech. Os treinos consistem em realizar exercícios durante um curto período (variando de meio segundo a dois minutos), seguidos por repouso ou outra série realizada em ritmo mais lento, com, no máximo, três minutos de duração.

Dessa forma, o tempo total gasto com a atividade é em torno de meia hora -um grande atrativo para quem tem a agenda corrida."O treinamento mais eficiente, no entanto, é aquele em que o aluno atinge de 80% a 90% de sua frequência cardíaca máxima", diz Larissa Kussano, gerente de musculação da Bio Ritmo.

Mães com Estilo - Mãe Gourmet - Estúdio Folha
Ballet fitness combina os movimentos do balé clássico com exercícios de condicionamento físico

O grande diferencial do HIIT está no modo como o organismo se recupera do treino. Como os exercícios são intensos, a adaptação pode se prolongar por até 14 horas depois da atividade. Nesse período, o metabolismo mantém-se acelerado e intensifica-se a produção de substâncias, como o hormônio do crescimento, do GH. Entre tantas funções, o GH está associado ao aumento da massa muscular.

O HITT pode ser aplicado aos mais variados tipos de treino -corrida, bicicleta, natação e flexões de braço, entre outros. O método, porém, vem sendo muito usado nos treinos funcionais. Mais dinâmica do que os treinamentos tradicionais, essa modalidade aciona os músculos, em movimentos semelhantes àqueles feitos no dia a dia. "Você treina o movimento e não apenas um grupo muscular específico", diz Netto, da Bodytech. Além de tonificar os músculos e queimar gordura, o treino funcional melhora a flexibilidade, coordenação motora, equilíbrio e capacidade respiratória.

Outra vantagem apontada pelo especialista é o uso do próprio corpo como carga. Ao dispensar o uso de equipamentos, o de exercício pode ser praticado em qualquer lugar. Uma das aulas mais procuradas atualmente são as de ballet fitness, resultado da combinação de posturas do ballet clássico com exercícios de condicionamento físico, como agachamentos. Em uma hora, é possível queimar até 750 calorias.

Publicidade