Cada vinho na sua taça

O vinho certo, a companhia certa, o lugar certo, a temperatura certa. Mas, e a taça? Existe uma taça certa para degustar cada tipo de vinho?

A resposta é sim. A taça certa é importante, e varia não apenas de acordo com a cor do vinho (branco, tinto e rosé), mas também conforme as características dele.

Em primeiro lugar, as taças de vinho são feitas principalmente com cristal e vidro. A mais recomendada pelos sommeliers é a de cristal, por ser mais leve e mais porosa, fazendo com que as moléculas da bebida se desprendam e liberem melhor o aroma.

As taças para vinhos tintos normalmente são maiores do que as destinadas aos brancos. Isso porque são bebidas mais encorpadas e com uma intensidade maior de aromas. Por essa razão, aumentam a superfície de contato com o oxigênio e a complexidade se mostra mais rapidamente.

Os recipientes feitos para vinhos como os da região de Bordeaux (elaborados com uvas como cabernet sauvignon, cabernet franc e merlot, principalmente) são versáteis e populares: têm o bojo largo, longo e a boca mais estreita. Esse tipo de taça é uma espécie de coringa, pois serve também para uvas como malbec, syrah, carménère, entre outras.

Johnny Mazzilli/Estúdio Folha
Vinhos brancos devem ser bebidos em taças menores, como esta que está à frente do conjunto
Vinhos brancos devem ser bebidos em taças menores, como esta que está à frente do conjunto

Já os vinhos da Borgonha, outra região francesa, são bem delicados e complexos, geralmente produzidos com a uva pinot noir. Pedem para ser degustados em taças com o bojo avantajado, para que o nariz e a boca possam sentir toda a sua diversidade.

Os exemplares brancos, por sua vez, devem ser bebidos em taças menores, pois se consumem em temperaturas mais baixas e, dessa maneira, não são tão afetados pelo calor do ambiente.

Os vinhos rosés também possuem taça específica. Ela é estreita, como a dos vinhos brancos, mas tem o bojo um pouco maior. Caso não tenha esse tipo de taça, o melhor é usar uma de vinhos brancos.

Os vinhos de sobremesa ou fortificados são consumidos em quantidades menores, por isso a taça também é menor. A boca é estreita, para que a língua perceba melhor seus toques doces.

Quanto aos vinhos espumantes, são degustados nas taças chamadas "flauta" (flüte) - altas e estreitas, para preservar as borbulhas características desse tipo de bebida.

Publicidade