Aprenda a escolher o vinho pelo rótulo

Você quer comprar um vinho e, sem conhecer a bebida a fundo nem ter ao alcance um sommelier, fica indeciso em meio a inúmeras opções. Um dos poucos indicadores que tem é a própria garrafa. Mas é possível escolher um vinho apenas pelo rótulo?

A resposta é: sim, desde que sejam observados alguns padrões e regras.

Não existe uma regra mundial, que atenda a todos os países produtores.. Em alguns países, há legislação específica que obrigada que determinadas informações sejam descritas no rótulo, como a safra (o ano da colheita da uva).

Nos exemplares vindos da Espanha, pode-se encontrar dados sobre o envelhecimento do vinho, como "crianza" ou "reserva". O crianza envelhece menos tempo em madeira do que um reserva da mesma região.

Johnny Mazzilli/Estúdio Folha
Rótulos de cada região trazem informações específicas sobre cada garrafa
Rótulos de cada região trazem informações específicas sobre cada garrafa

Segundo a sommelière Ana Cristina Fulgêncio, uma boa dica é prestar atenção na região produtora. Se um argentino for produzido em Mendoza, por exemplo, vale arriscar nas uvas que se dão bem naquela área, como malbec e bonarda.

No Chile, a região do vale do Maipo é ótima para cabernet sauvignon, carménère e syrah, enquanto Casablanca e Valle do Limarí costumam gerar bons exemplares de chardonnay e sauvignon blanc.

A região do Porto, em Portugal, é o endereço certo dos vinhos do Porto (procure por ruby e tawny). Já o Alentejo tem opções de tintos como aragonez e alicante bouschet e de brancos como arinto e antão vaz.

A qualidade dos vinhos brasileiros cresce ano a ano. Segundo Ana Cristina, vale a pena prestar atenção nos rótulos que indicam a produção da região sul, com uvas como merlot e cabernet sauvignon. Ou um sauvignon blanc da serra catarinense.

Dependendo do país de origem, o rótulo tem características próprias.

"Os rótulos franceses são diferentes dos rótulos argentinos e chilenos", explica Ana Cristina. "Na França, a valorização maior, no rótulo, é para a região e não para a uva utilizada, porque por lá se utilizam muitos blends (misturas de duas ou mais uvas), enquanto nos chilenos e argentinos é mais fácil achar rótulos com o nome das uvas envolvidas na produção."

Outro indicador no rótulo que pode ser utilizado como critério de escolha de um vinho é a pontuação recebida pela garrafa. Alguns dos principais críticos/premiações do mundo são Robert Parker, Jancis Robinson, "Guia Descorchados" (Argentina, Chile, Uruguai e Brasil), "Decanter", "Wine Spectator", "Wine Enthusiast", "James Suckling", "Guia Peñin" (Espanha), "Gambero Rosso" (Itália).

No site da Wine, há a indicação da pontuação dos vinhos.

RÓTULO AVARIADO

E se o rótulo estiver rasgado, manchado? Isso indica que o vinho não é bom?

Segundo Ana Cristina, o fato de o rótulo estar avariado não quer dizer necessariamente que o vinho não seja bom.

"Existem preocupações maiores para um vinho não se tornar recomendável, como o armazenamento, locais com muita luz ou muito quentes, por exemplo. Alguns rótulos, infelizmente, sofrem degaste dentro da própria caixa onde o produto é transportado do país de origem ao destino. Não é o ideal oferecer ao cliente um rótulo avariado, mas não é um indício de que o vinho não está apto para o consumo."

Ana Cristina diz que a Wine entrega aos clientes e sócios "vinhos com rótulos perfeitos, sem qualquer avaria".

Publicidade