APP e-saúdeSP tem nova funcionalidade: o Passaporte da Vacina

Com 100% dos adultos vacinados com a primeira dose contra a Covid-19, a Prefeitura de São Paulo estimula todos a tomarem a segunda dose

Alex Lima é DJ profissional há 27 anos e coordenador de festas com músicas dos anos 70, 80 e 90. Com a reabertura das casas noturnas, fechadas devido à pandemia, está de volta à atividade que ama, frequentando e promovendo eventos ao ar livre e em locais fechados.

“Acho que o passaporte da vacina trará benefícios a todos, estabelecimentos e frequentadores. Resguardar a saúde pública é dever do estado e sou totalmente favorável a esse controle. A proteção é um ato coletivo e poder se divertir sem ser contaminado é um direito”, diz.

Ele se refere ao passaporte criado pela Prefeitura de São Paulo, por meio do decreto nº 60.488, de 27 de agosto de 2021. O decreto estabeleceu que, desde 1º de setembro de 2021, estabelecimentos e serviços na capital relativos ao setor de eventos, com público superior a 500 pessoas, devem solicitar, para o acesso ao local, que a pessoa apresente o Passaporte da Vacina, na forma de QR Code, que comprova que tomou pelo menos a primeira dose de um dos imunizantes. Vale lembrar que 100% dos adultos da cidade já tomaram ao menos a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

O passaporte pode ser garantido no e-saúdeSP, aplicativo da Prefeitura de São Paulo. Clique para ver como é fácil.​

Alex Lima é DJ profissional há 27 anos
Alex Lima é DJ profissional há 27 anos - Divulgação

“Não considero o passaporte uma restrição, mas sim um cuidado necessário, que teremos que encarar. Só assim todos podem se divertir com segurança"

Alex Lima, DJ

O advogado Henrique França e a mulher, Maria Victoria, há anos são frequentadores assíduos da noite paulistana. E agora, estão também se tornando empresários da noite. Ele apoia totalmente a medida. “Senti muita falta das baladas durante a pandemia. Li que dois terços das casas fecharam e isso fez muita falta para nós, que gostamos de sair à noite e dançar.”

O advogado Henrique França e a mulher, Maria Victoria, há anos são frequentadores assíduos da noite paulistana
O advogado Henrique França e a mulher, Maria Victoria, há anos são frequentadores assíduos da noite paulistana - Arquivo Pessoal

“É claro que ninguém gosta de restrições, mas temos que nos adaptar ao novo normal. Todos têm que ceder um pouco”

Henrique França, advogado

Veterano frequentador da cena noturna da capital, o empresário José Paulo Fischer, conhecido como “Gin” por ser o primeiro a promover a bebida que hoje está em voga no país, também se diz favorável à medida instituída pela prefeitura de São Paulo. “Acho que ninguém gosta de ter regras impostas, mas sou favorável ao passaporte da vacina para o entretenimento. Se você estiver em um local onde sabe que todos foram vacinados, isso te dará muito mais segurança para frequentar e se divertir”, diz.​

Como garantir o seu o passaporte da vacina

Para garantir o passaporte, basta que a pessoa vacinada na capital acesse o aplicativo e-saúdeSP, da Prefeitura de São Paulo, disponível nas lojas Google Play ou Apple Store, , e siga as orientações do próprio aplicativo. A validade do passaporte é de 7 dias, após esse prazo, deverá ser reemitido no App, para aumentar a segurança.

Pessoas vacinadas fora da capital de São Paulo podem apresentar o comprovante físico da vacinação, fornecido pelos postos onde foram aplicadas.

Os estabelecimentos que não respeitarem as regras e restrições previstas no decreto, bem como os demais protocolos estabelecidos pela Lei, como o uso de máscaras, ficarão sujeitos às penalidades conforme o Decreto nº 59.298, de 23 de março de 2020.

Muitas pessoas ainda não compareceram para tomar a segunda dose, fundamental para prevenir as formas graves da Covid-19. A prefeitura tem feito buscas ativas e mantido campanhas de conscientização sobre a importância da segunda dose. ​

Clique aqui para assistir ao vídeo com tutorial