Adolescentes também precisam de proteção contra a meningite

Pessoas de todas as idades são suscetíveis à doença meningocócica, mas os jovens são os principais transmissores

Levantador e capitão da equipe de vôlei sentado do Sesi-SP e atleta da seleção brasileira, Daniel Yoshizawa segue um treinamento rigoroso para representar o Brasil nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, previsto para agosto de 2021. Entre um treino e outro, ele tem participado ativamente de campanhas para divulgar a importância da vacinação, principalmente contra a meningite.

Daniel Yoshizawa, levantador e capitão da equipe de vôlei sentado do Sesi-SP e atleta da seleção brasileira
Daniel Yoshizawa, levantador e capitão da equipe de vôlei sentado do Sesi-SP e atleta da seleção brasileira

A doença meningocócicaestá entre as doenças imunopreveníveis mais temidas, alerta a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm). Entre 1.500 e 3.000 brasileiros são acometidos pela doença todos os anos 1.

Cerca de 20% dos jovens podem ser portadores temporários da bactéria, e o adoecimento depende de vários fatores como o seu sistema imunológico. Mesmo que não adoeça, o adolescente pode transmitir para outras pessoas pela saliva, compartilhamento de copos, talheres, canudos, beijos e tosse. 2,3

Yoshizawa foi diagnosticado com a doença aos 21 anos. “Um dia não consegui levantar da cama, com dor no corpo e na nuca. Não consegui ir trabalhar, mas achei que era uma virose. Em um período de apenas 12 horas, que foi o tempo entre ser atendido em um hospital e transferido para outro, fui internado com apenas 1% de chance de vida. Fiquei 15 dias em coma, acordei sem saber onde estava, todo enfaixado. Aí eu já tinha partes do meu corpo necrosadas”, lembra o atleta.

Ele precisou amputar as duas pernas acima dos joelhos, o que dificulta o uso de próteses. Teve amputados também quatro dedos da mão direita e o dedinho da mão esquerda. “Ainda assim dei muita sorte. Poderia ter morrido”, diz.

A evolução da doença pode ser muito rápida e pode ser confundida com diversas outras doenças pois entre os principais sintomas iniciais estão: mal-estar, dor de cabeça, febre, vômito e pescoço rígido. 4

Pessoas de todas as idades são suscetíveis à doença meningocócica, mas o grupo etário de maior risco são as crianças menores de cinco anos 2. Mas entidades médicas recomendam que, além das crianças, os adolescentes devam tomar doses de reforço para ampliar a proteção contra a doença 3 .

MAT-BR-2100075

Com o potencial de matar em 24 horas após o início dos sintomas, a doença meningocócica pode ser adquirida por pessoas de qualquer idade. A maior incidência da doença ocorre no grupo de crianças menores de cinco anos, mas os adolescentes também precisam de imunização, pois estão entre os principais transmissores da bactéria 5.

Apesar de ter sido vacinado durante a infância, Yoshizawa não tomou as doses de reforço quando era adolescente nos anos 2000. Recentemente, o Ministério da Saúde incorporou a vacina meningocócica conjugada quadrivalente ACWY para as faixas etárias de 11 e 12 anos no calendário nacional de vacinação do Programa Nacional de Imunização (PNI)6.

O objetivo do Ministério da Saúde é alcançar cobertura vacinal maior ou igual a 80% do público-alvo da vacinação. 7

Além de ampliar a proteção para as pessoas dessa faixa etária, a vacinação na adolescência é uma estratégia que traz grandes benefícios para a imunidade individual e de toda a comunidade. “O adolescente é o principal portador da bactéria e pode transmiti-la para crianças e idosos. Por isso é fundamental vacinar também nessa fase da vida. É quando se obtém o conceito de imunização de rebanho, que é uma proteção indireta, quando um grupo que recebeu a vacina protege também outro grupo que não foi vacinado”, afirma o pediatra e infectologista Daniel Jarovsky, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e secretário do Departamento de Imunizações da Sociedade de Pediatria de São Paulo.

Jarovsky cita o exemplo do Reino unido, que começou a vacinar esse grupo em 1999 e, cinco anos depois, praticamente zerou os casos de meningite C. “O Reino Unido concentra a vacinação entre os 11 e 19 anos, faixa de idade que, mesmo assintomática, mais transmite a bactéria. Essa medida garante a proteção de toda a população, das crianças aos idosos”, diz.

O infectologista também destaca os resultados obtidos em nove países da região denominada Cinturão da Meningite, na África Subsaariana. Ali, a doença foi reduzida em 99% com as medidas de vacinação de adolescentes.

No Brasil, entidades médicas apontam queda na cobertura vacinal contra várias doenças e temem que o quadro se agrave por conta da pandemia da Covid-19 8. “É fundamental vacinar também em tempos de Covid, claro que obedecendo aos critérios de segurança (uso da máscara e distanciamento, entre outros)”, afirma Jarovsky.

Com vitórias nos três últimos campeonatos nacionais, além de medalha de bronze no mundial de 2018 e de ouro no Pan-Americano de 2019, Yoshizawa diz acreditar num bom desempenho da seleção brasileira em Tóquio. E espera que sua participação nos Jogos Paralímpicos fortaleça sua atuação em defesa da vacinação. “Apesar das limitações, sou uma pessoa feliz. Mas tenho o papel de alertar a todos sobre a doença e de pedir que as pessoas fiquem atentas às doses de reforço em crianças e adolescentes”, afirma.

Referências

1. Doença Meningocócica (https://familia.sbim.org.br/doencas/doenca-meningococica-dm)

2. Christensen H, May M, Bowen L, Hickman M, Trotter CL. Meningococcal carriage by age: a systematic review and meta-analysis. Lancet Infect Dis. 2010;10(12):853-61.

3. World Health Organization (WHO). Meningococcal meningitis. In: Transmission. [Internet] Disponível em: https://www.who.int/emergencies/diseases/meningitis/en/. Acesso em: 5 nov. 2019.

4. Branco RG, Amoretti CF, Tasker RC. Meningococcal disease and meningitis. J Pediatr (Rio J). 2007 May;83(2 Suppl):S46-53.

5. World Health Organization (WHO). Meningococcal meningitis. [Internet] Disponível em: https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/meningococcalmeningitis. Acesso em: 5 nov. 2019.

6. Calendário nacional de vacinação (https://www.saude.go.gov.br/files/imunizacao/calendario/Calendario.Nacional.Vacinacao.2020.atualizado.pdf)

7. Disponível em https://saude.gov.br/saude-de-a-z/meningites. Acesso em 11 Mar. 2020.

8. À espera de imunização contra Covid-19, Brasil tem queda na cobertura vacinal (https://www.nationalgeographicbrasil.com/ciencia/2020/10/a-espera-de-imunizacao-contra-covid-19-brasil-tem-queda-na-cobertura-vacinal)

MAT-BR-2100074