Brasileiro está mais preocupado em proteger seus bens

Setor de seguros aumentou no ano passado, e segue crescendo em 2019

As contratações de seguros feitas entre os meses de janeiro e abril deste ano aumentaram em 14,8%. O dado é da FenaPrevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida), e compara as aquisições de 2019 com as realizadas no mesmo período de 2018.

O índice reflete o crescimento do setor -que vem percebendo o aumento nas contratações de outros segmentos, que não só os tradicionais seguros de carro. Isto é, não é só o automóvel que o brasileiro anda preocupado em proteger. Agora também os seguros de vida, de residências e aqueles voltados para pequenas e médias empresas estão entrando no páreo.

O segmento de seguro residencial teve crescimento de 12,8% em 2018, na comparação com 2017. As apólices totalizaram R$ 2,9 bilhões, de acordo com a Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg). Já a movimentação financeira com seguros de vida cresceu 9,4% no ano passado, segundo dados da FenaPrevi. As contratações de seguros para riscos pessoais, que incluem seguro de vida, de acidentes pessoais, prestamista, entre outras modalidades, somaram R$ 41,4 bilhões em 2018.

Segundo especialistas, o brasileiro está mais preocupado em proteger o que conquistou. Quando a pessoa compra uma apólice de seguro, ela passa a compartilhar riscos coletivamente. É muito útil, principalmente, para quem não tem de onde tirar recursos se acontecer um imprevisto.

Lentamente, alguns mitos, como por exemplo, o de que o seguro é caro, estão sendo desfeitos. O seguro é justamente uma forma de minimizar o impacto econômico que uma situação inesperada pode provocar na vida das pessoas, seja pelo roubo ou furto de um bem, pela reconstrução de um patrimônio ou pela morte da pessoa responsável por manter economicamente a família.

A lógica funciona assim: cada segurado passa compor um grupo de pessoas que transfere à seguradora riscos futuros e incertos que todos estão sujeitos. O valor recebido é administrado pela seguradora e, quando um integrante desse grupo passa por alguma ocorrência que esteja prevista no contrato de coberturas, parte do valor é utilizado para indenizar o segurado.

Nesse sentido, seguros têm a função de distribuir os riscos. A indústria de seguros permite que o risco seja transferido e compartilhado entre muitos indivíduos (princípio do mutualismo), reduzindo o custo individual da perda. Isto é, os clientes rateiam as contas de sinistros e de administração pelo serviço prestado pela seguradora, pagando um valor que seja suficiente para cobrir esses gastos.

Segurança e sustentabilidade para as empresas

Pequenos e Médios Empresários também estão atentos em relação à proteção dos seus negócios, sobretudo aqueles voltados ao segmento de comércio e serviço como donos de academias, padarias, salões beleza e consultórios. Isso tem feito aumentar o interesse por seguros para as PMEs.

Embora esse movimento tenha ganhado força, ainda há um potencial enorme a ser explorado. Segundo estudo realizado pelo PwC, 70% das PMEs ainda não contam com seguros.

A expectativa de retomada do crescimento da economia é outro fator que deverá impulsionar a procura por seguros para este segmento, visto que o número de PMEs não para de crescer. Para se ter uma ideia, segundo a pesquisa GEM (Global Entrepreneurship Monitor), no ano passado, dois em cada cinco brasileiros entre 18 e 64 anos estavam à frente de uma atividade empresarial ou tinham planos de ter um negócio.

Fazer seguro para o pequeno negócio, por exemplo, é uma forma de garantir a sustentabilidade da empresa, pois a severidade de um sinistro (como um vendaval) pode determinar o fim de um empreendimento.

Neste aspecto, a BB Seguros tem produtos sob medida para todos os tipos de empresas desde pequenos a grandes negócios. Eles garantem proteção contra incêndios, raios e explosões, danos elétricos, danos causados a terceiros, vendaval, perda de faturamento bruto, roubo e furto qualificado, quebra de vidros, entre outros. Além disso, o BB Seguro Empresarial possui serviços que auxiliam a empresa em caso de eventualidades.

Seguro de vida como parte do planejamento familiar

A mudança vem acontecendo também no âmbito pessoal, e a contratação do seguro de vida entrou no planejamento financeiro familiar. Ele funciona como forma de garantir um apoio para reestabelecimento financeiro no caso de uma fatalidade com um dos geradores da renda da família.

A seguradora paga a indenização à pessoa ou pessoas escolhidas em caso de morte ou invalidez de quem contratou a apólice, reduzindo o impacto no padrão de vida das pessoas que dependem financeiramente do segurado, por um determinado período.

Apesar de ninguém gostar de considerar tais cenários como a morte ou acidentes com consequências graves, eles podem acontecer. Ter a consciência da proteção do seguro deixa qualquer pessoa mais tranquila e amparada.

Na hora de fazer um seguro de vida é fundamental encontrar um que seja adequado ao seu ritmo e estilo de vida. A BB Seguros tem o portfólio completo para esse ramo, como o Vida Mulher Mais - ideal para mulheres de 18 a 70 anos, Seguro Amparo Familiar, Vida Completo, Prestamista, entre outros.

O BB Seguro Vida Completo atende aos mais variados públicos, de 18 a 70 anos. Ele tem coberturas por morte natural ou acidental, doenças graves (diagnóstico de câncer, AVC, insuficiência renal, transplante de órgãos vitais, infarto, cirurgia coronariana), invalidez permanente total ou parcial por acidente, diárias de internação hospitalar por acidente, auxílio-funeral e a uma indenização adicional para auxiliar nos gastos com acessibilidade física em caso de invalidez permanente total ou parcial por acidente.

Residência está como segundo item mais segurado no Brasil

O seguro residencial está em segundo no ranking de apólices mais vendidas no Brasil, só perdendo para os seguros de automóvel. Segundo especialistas, as pessoas estão incluindo a proteção do imóvel no orçamento doméstico.

Nesse contexto, o BB Seguro Residencial garante a proteção de residências na praia, no campo ou na cidade.

Uma apólice residencial conta com coberturas que amparam desde incêndios, explosões e quedas de raio e aeronave, até danos elétricos, vendaval, roubo e furto qualificado, danos causados a terceiros, e muito mais. Um diferencial desse tipo de seguro é a assistência 24hs. São serviços que estão disponíveis 24 horas por dia, inclusive aos sábados, domingos e feriados, porque imprevistos não tem hora certa para acontecer.

Quitação do imóvel garantida

Para proteger sua habitação, a BB Seguros conta com uma linha de seis produtos, como o BB Seguro Residencial, o BB Seguro Estilo, o Residencial Personalizado, o BB Seguro Imóvel (residencial) e o BB Seguro Imobiliário - Habitacional.

Cada um dos produtos foi desenvolvido para atender necessidades específicas. O Seguro Imobiliário Habitacional, por exemplo, garante a quitação da dívida de financiamento imobiliário realizada no Banco do Brasil, em caso de imprevistos.

Cresce interesse pelo seguro rural

Quem acompanha o segmento econômico sabe a relevância do setor rural para a economia do país. Por isso, ter um seguro rural passou a ser de fundamental importância, não apenas para o empresário rural, mas também para a própria manutenção da atividade rural no Brasil.

A BB Seguros tem uma linha destinada ao setor rural em várias versões: Seguro Vida Agricultura Familiar, Seguro Agrícola, Seguro Agrícola Faturamento, Seguro Florestas, Seguro Penhor Rural, Seguro Ouro Implementos Agrícolas e Seguro Benfeitorias, Máquinas e Equipamentos Agrícolas, que dá seguridade aos bens utilizados em atividades agropecuárias.

Com o BB Seguro Agrícola, o produtor - que pode ser tanta pessoa física como jurídica- que tiver financiamento no Banco do Brasil tem direito a receber indenizações dos prejuízos causados por diversos fenômenos da natureza, como por exemplo, excesso ou faltas de chuvas.

Já com o BB Seguro Agrícola Faturamento, o produtor rural que tiver financiamento no Banco do Brasil, consegue proteger sua lavoura durante todo o ciclo: do plantio à colheita, e ter o faturamento garantido. O produtor tem opção de contratar coberturas que variam de 60% a 80% do faturamento esperado.

Publicidade
Publicidade