Programa AAA traz novas perspectivas para produtores

Melhores preços pelo café, assistência agrícola e investimento de alto impacto são benefícios efetivos que a Nespresso oferece com o programa

A florada do café acontece poucas vezes ao ano e pega o pessoal da fazenda de surpresa. As primeiras chuvas quebram a dormência da planta e os cafeeiros soltam suas flores. Sorte estar ali nesse momento. Sorte. Foi exatamente uma florada na região das Matas de Minas que fortaleceu a paixão que Guilherme Amado já sentia pelo café. "De repente me vi no meio daquela montanha inteira florida, as abelhas num barulho imenso e um cheiro de jasmim impressionante", conta.

Atualmente, Guilherme, 43, é gerente de café verde e responsável pelo programa AAA Sustainable Quality da Nespresso no Brasil. Ele conta o quão importante uma florada é para o cafeicultor. "A partir daí, ele sabe como vai ser a safra do próximo ano", conta. Se a florada foi ruim, mau sinal.

É assim, entendendo o produtor profundamente, que Guilherme desenvolve seu trabalho. "O primeiro passo sempre é a criação dessa parceria, desse relacionamento. Depois avaliamos como vai a vida daquela fazenda e, se for preciso, buscamos apresentar um novo olhar, uma mudança de mentalidade", afirma.

Assim, passo a passo, ele diz acreditar que o programa AAA se fortalece, "deixa de ser só palavras ao vento e cria valor efetivo para o produtor". "Uma das questões mais importantes para eles é saber que uma empresa vai comprar o seu café por um longo prazo, pagando preço adequado e fazendo valer todo investimento que tenha feito", explica. "O cafeicultor quer ficar tranquilo, quer cuidar do seu café e não ter de esquentar a cabeça com as oscilações do mercado."

Essa estratégia dá resultado. Um exemplo é a fazenda Alta Vista, de Robson Vilela, na região de Cristina (MG). Com 60 hectares, produzia dez sacas de café por hectare. Em 2017, a produção foi de 25,7 sacas por hectare. A estimativa para a próxima safra é de 32 sacas por hectare. O segredo está no tripé qualidade, sustentabilidade e produtividade.

Com a ajuda de Newton Beraldo, agrônomo do programa AAA, e da implementação do programa, Robson diminuiu o uso de agroquímicos em 70%, aumentou a utilização de fertilizantes orgânicos em 50% e reduziu o uso de fertilizantes minerais em 50%. A área de vegetação preservada, que era de 18 hectares, passou a 22 hectares. Resultado: em 2017, Robson e Newton foram reconhecidos por terem desenvolvido as melhores iniciativas de melhoria contínua em uma fazenda AAA no Brasil.

Publicidade
Publicidade