Pós-graduação a distância proporciona liberdade e desenvolve autonomia do aluno

O aprendizado em um curso superior a distância vai muito além do que é transmitido nas aulas, lido nos livros ou respondido nas provas. O aluno que escolhe tomar as rédeas de seus estudos e se aperfeiçoar em um curso de pós-graduação desenvolve uma série de competências que irão refletir não apenas em boas notas mas também se transformarão em diferencial na disputa por espaço e destaque no mercado de trabalho.

O EaD proporciona ao estudante a liberdade para escolher dias, horários e formas para estudar. Engana-se, no entanto, quem acredita que isso signifique menos exigência do que o ensino presencial. Pelo contrário.

"O EaD não é a melhor opção para quem não tem tempo para estudar porque, na verdade, exige muito estudo, empenho e trabalho acadêmico", ressalta Rita Maria Lino Tarcia, diretora da Abed (Associação Brasileira de Ensino a Distância).

Organização e disciplina, portanto, são fundamentais para quem quer acompanhar os cursos de especialização e tirar o maior proveito possível das matérias oferecidas. Assim como na modalidade presencial, os alunos do EaD têm prazos para realizar atividades e entregar trabalhos. E cabe somente a eles conseguir organizar a rotina de estudos para cumprir suas obrigações.

Como é responsável por seu próprio tempo, o aluno também desenvolve mais autonomia. E se não estiver comprometido com seu processo de aprendizado, não conseguirá evoluir. O estudante que se organiza melhor, consequentemente, chega ao mercado de trabalho com mais foco por estar mais acostumado a lidar com problemas de forma independente, ser mais focado e desenvolver mais capacidade para procurar e propor soluções.

"Estudar a distância exige disciplina, persistência, dedicação e organização do tempo. Ao finalizar um curso, o aluno percebe a evolução com relação às competências desenvolvidas e valoriza sua autonomia intelectual e sua proatividade", avalia Alessandra Fahl, gerente sr. de operação, produção e entrega da Kroton, maior grupo de ensino privado do mundo -em valor de mercado.

Trabalho em equipe

Embora estude por conta própria, o aluno de EaD não tem uma rotina solitária. Ferramentas digitais tornam o contato com docentes e colegas tão ou mais intenso quanto o dos cursos presenciais.

Por meio de chats e fóruns, os estudantes tiram dúvidas, discutem e aprofundam os temas apresentados. Para tirar o melhor proveito das conversas, é fundamental o desenvolvimento de senso crítico, de capacidade de argumentação e de interpretação. O aluno também precisa estar atento às suas dúvidas e dificuldades e ser capaz de colocá-las de forma clara para obter respostas satisfatórias.

As mesmas habilidades são importantes nos cursos semipresenciais -com estudos online e em sala de aula. A Unopar, por exemplo, desenvolveu um modelo de pós-graduação em que os alunos participam de atividades em grupo e assistem a aulas transmitidas online, mas também encontram-se quinzenalmente com um tutor em sala de aula.

Quem consegue chegar para esses encontros com perguntas mais bem formuladas e tópicos para serem discutidos, atinge um desempenho superior.

Mercado de trabalho

A revolução digital e as constantes transformações no mercado de trabalho pedem profissionais que mostrem não apenas conhecimentos técnicos mas também habilidades socioemocionais que são bastante desenvolvidas em processos de aprendizado online.

"O mercado valoriza profissionais com habilidades relacionadas a comunicação e a trabalho em equipe, que fundamentalmente são trabalhadas nos cursos a distância no processo de comunicação com o tutor e com os demais alunos", diz Volnei Munhoz, gerente sr. de sistemas e tecnologia de negócios da Kroton.

O contato com a tecnologia é outro fator de destaque. As ferramentas digitais dos cursos online proporcionam o contato com diferentes mídias, ambientes virtuais e outros recursos tecnológicos que favorecem a aprendizagem.

"As competências que o aluno desenvolve no EaD são extremamente aderentes ao mercado de trabalho", diz Rita Maria Lino Tarcia, diretora da Abed. "Além de ele ser o protagonista do seu aprendizado, assume um papel muito mais ativo do que no ensino presencial, em que muitas vezes é passivo-reativo. Dessa forma, será um profissional que certamente responderá mais prontamente às exigências e às demandas do mercado sempre tão dinâmico e intenso", diz Rita Maria.

A dedicação a um curso de especialização a distância não proporciona apenas uma bagagem maior de conhecimentos acadêmicos e técnicos. É também a chance de desenvolver novas habilidades pessoais e profissionais que irão impactar a vida e a carreira.

Publicidade