Usuário elege sistema público de saúde como o melhor serviço da cidade de São Paulo

A Covid-19 fez crescer o contato da população com o sistema público de saúde, seja para atendimento, seja para vacinação, o que inclui também quem tem acesso a planos de saúde, uma vez que as vacinas só são aplicadas por meio das prefeituras. A ampliação deste contato veio acompanhada de aprovação na cidade de São Paulo.

Pesquisa realizada pelo Datafolha colocou o SUS Municipal (Sistema Único de Saúde) como o melhor serviço público da cidade pela primeira vez desde 2015, quando o instituto passou a medir a opinião dos paulistanos sobre os serviços oferecidos em São Paulo.

O SUS aparece com 13% das citações, à frente numericamente (ainda que em empate técnico) com Poupatempo (12%) e Metrô (11%). O salto do SUS foi de sete pontos percentuais de 2020 para 2021.

O SUS existe há 32 anos. Foi criado em 1988 por ocasião da Assembleia Nacional Constituinte e efetivou o mandamento constitucional do direito à saúde como um direito de todos e um dever do Estado. Seu modelo foi inspirado no sistema inglês de saúde pública, considerado um dos mais avançados do mundo.

A gestão do SUS é descentralizada, o que significa que cada município e cada estado da federação administra o seu quinhão de serviços do sistema e o repasse financeiro que recebe da União. A qualidade dos serviços do SUS também depende da qualidade da administração municipal e da gestão que ela faz dos repasses de verba. Com isso, o nível de satisfação pode variar de acordo com o município.

Na cidade de São Paulo, o sistema envolve 25 hospitais municipais, 468 UBSs (Unidades Básicas de Saúde), 80 AMAs (Assistência Médica Ambulatorial) e 17 SAEs (Serviços de Atendimento Especializado), entre outros (veja abaixo). A procura tem aumentado em razão da Covid-19 e também da crise econômica, que fez cair o número de brasileiros com planos de saúde privados. Juntando as UBSs e as AMAs, foram 34.646.839 atendimentos em 2020, uma média de 125.740 por dia.

“Esta foi a primeira vez que vim a esta UBS. Estou aqui para a segunda dose da vacina contra a Covid-19. A primeira dose tomei em um posto drive-thru. Achei tudo muito bem organizado. Os profissionais respeitam todos os protocolos. Foram três pessoas no atendimento, mostraram a vacina, a validade e a aplicação. E muito gentis”, afirma Cláudia Rodrigues, professora, moradora do Itaim Bibi, que esteve na UBS Max Perlman, na Vila Nova Conceição.

Cláudia Rodrigues, professora, moradora do Itaim Bibi, que esteve na UBS Max Perlman, na Vila Nova Conceição, para se vacinar contra a Covid-19
Cláudia Rodrigues, professora, moradora do Itaim Bibi, que esteve na UBS Max Perlman, na Vila Nova Conceição, para se vacinar contra a Covid-19 - Arquivo pessoal

José Valentino Roselli, engenheiro de 59 anos que mora no Morumbi (zona sul), também aprovou os serviços da mesma UBS. “Estou trazendo minha mãe a esta UBS pela segunda vez, para vacinação. O atendimento foi rápido, tanto na secretaria como na aplicação da vacina. Tudo foi muito tranquilo, não demorou mais do que 20 minutos. Conheci a UBSs e gostei muito da qualidade do serviço e do atendimento.”

A mãe, Carmelita Morena Roselli, é médica aposentada, tem 88 anos e foi vacinada dentro do automóvel do filho.

REFORMAS E MELHORIAS

A Prefeitura de São Paulo está com um programa de reestruturação e requalificação das redes assistenciais, o que inclui reforma e ampliação de UBSs e AMAs, com a incorporação de novos serviços. Chamado Avança Saúde SP, prevê investimentos de US$ 200 milhões (mais de R$ 1 bilhão).

LEIA MAIS

Cidade de São Paulo amplia ações contra a Covid-19

Saudável e ativa, comunicadora sofre há 3 meses com sintomas da Covid Longa

"Achava que a Covid-19 não era tão grave, mas é, e muito"