Novos testes genéticos revolucionam a saúde

Exames indicam as terapias mais assertivas, evitam tratamentos desnecessários e salvam vidas

O protocolo padrão para tratar um câncer de mama em estágio inicial prevê a combinação de cirurgia, radioterapia e terapia complementar, como a quimioterapia. Mas há muitos casos em que, dependendo da informação genética e patológica do tumor, a quimioterapia é dispensável.

Para ajudar o médico a definir a necessidade ou não de indicar a quimioterapia pós-cirurgia para pacientes com câncer de mama (RE+ e HER2-), a Dasa, em parceria com a Myriad Genetics (empresa americana especializada em diagnóstico molecular), lançou o teste EndoPredict, que classifica com alta precisão o risco do desenvolvimento de metástases em 10 anos.

Além do EndoPredict, há outros testes realizados pelo GeneOne, laboratório da Dasa, em parceria com empresas, startups e universidades do Brasil e de outros países. O objetivo é oferecer uma gama de exames que podem não só indicar as terapias mais assertivas, mas também evitar tratamentos desnecessários e salvar vidas.

É o caso do teste Karius, exame genético capaz de identificar mais de mil tipos de patógenos (bactérias, vírus, fungos) por meio de uma simples coleta de sangue.

Desenvolvido em parceria com a startup americana Karius, o exame usa o sequenciamento de nova geração e metodologia de metagenômica para identificar o agente da infecção, por meio da análise do DNA do patógeno.

Ele é indicado para pacientes submetidos a transplantes ou tratamentos de câncer ou outras doenças graves e que precisam identificar o motivo da infecção rapidamente para não comprometer ainda mais o seu sistema de defesa.

O Karius identifica o agente causador da infecção, evitando tentativas e abordagens ineficazes e o uso de medicações que não dão resultados.

"Temos o caso de um paciente que estava havia quatro meses na UTI tomando um remédio para um fungo específico. Com o exame, descobrimos que o problema era causado por outro fungo, que não respondia àquela medicação, e, em uma semana, ele melhorou", conta Gustavo Campana, diretor médico de análises clínicas da Dasa.
Os testes genéticos estão revolucionando a medicina, e a cada dia surgem novas descobertas. O GeneOne também lançou recentemente um exame que mapeia
as bactérias que compõem a flora intestinal, identificando síndromes intestinais, inflamações crônicas do intestino e até a má absorção de alimentos, chamado Microbioma. O exame também ajuda o médico a encontrar alternativas para controlar respostas inflamatórias durante tratamentos como quimioterapia e radioterapia.

Para Emerson Gasparetto, vicepresidente da área médica da Dasa, isso é só o começo. Ele reforça a necessidade de as empresas se unirem, por meio de parcerias, para ampliar e fomentar pesquisas. "A medicina personalizada usa tecnologia de alto custo, mas temos demonstrado o quanto isso traz de benefícios em termos de economia e de desfecho positivo para o paciente", diz.