Tecnologia a bordo

Divulgação/Estúdio Folha

Aplicativos que avisam a hora de sair para o aeroporto, check-in por selfie, Wi-Fi no voo: novidades tecnológicas estão transformando a experiência de voar, agilizando processos e ajudando a reduzir filas

Quem está acostumado a fazer check-in pelo celular talvez não se lembre, mas até a Copa do Mundo de 2014, quando a então deficitária infraestrutura dos aeroportos no país era assunto de interesse nacional, o tamanho das filas de check-in era um tema que mobilizava agentes públicos.

Com a instalação de totens de autoatendimento e apps que permitem fazer check-in pelo celular, a fila deixou de ser uma preocupação. Mais recentemente, com os novos totens que imprimem etiqueta de bagagem e permitem o pagamento de excessos e outros serviços, até mesmo quem tem bagagem para despachar está conseguindo agilizar o embarque.

Segundo a LATAM Airlines, o Self Bag Tag (auto atendimento de etiqueta de bagagem) deve reduzir em até 50% o tempo entre a chegada do passageiro ao aeroporto e a sua entrada na área restrita (a partir do raio-x). Na companhia, este serviço está disponível nos aeroportos de Guarulhos e Congonhas, em São Paulo, Galeão e Santos Dumont, no Rio, além de Natal e Brasília.

Os apps das companhias aéreas, que já contam com mais de 1 milhão de downloads cada, estão se tornando companheiros fundamentais de viagem. Pelo app, é possível comprar passagem, fazer check-in, salvar cartões de embarque e antecipar voos. Algumas companhias ainda avisam, por meio de geolocalização e informações de trânsito, quando é chegada a hora de sair para o aeroporto.

E um processo que chegava a gerar muita angústia para os passageiros pode até ficar divertido com a Selfie Check-in, recurso disponível no app da Gol e que permite fazer o check-in por meio da tecnologia de reconhecimento facial, sem necessidade de digitar qualquer outro dado adicional.

Divulgação/Estúdio Folha

Ainda em fase de testes, a ferramenta está disponível para voos domésticos e internacionais. "O serviço de reconhecimento facial é resultado de investimentos contínuos feitos pela GOL para desenvolver internamente tecnologias modernas que garantem uma melhor experiência de viagem a todos os nossos passageiros", explica Paulo Palaia, Diretor de Tecnologia da GOL.

Outra inovação recente ajuda a reduzir a angústia de pais que têm filhos menores viajando desacompanhados. O serviço de "Acompanhamento de Viagem", disponível na LATAM, permite aos pais monitorar o status de todas as etapas da viagem, do check-in ao desembarque. O menor viaja com uma pulseira com um código atrelado, e, a cada etapa, funcionários treinados fazem a leitura do código e remetem as informações para os pais ou responsáveis.

MODO WI-FI

As novidades tecnológicas na experiência de voar não se limitam aos serviços em solo. Em breve, acessar internet em voo vai se tornar uma experiência corriqueira. Avianca e Gol começaram a implementar o serviço no segundo semestre do ano passado e estão gradualmente estendendo para toda a frota.

LATAM e Azul afirmam que também estão se preparando para entrar na era do Wi-Fi a bordo, mas ainda não revelam quando e em que condições o serviço estará disponível.

A Azul, que já oferece serviço de TV Sky ao vivo em seus voos, lançou o Azul Sound, uma parceria com o serviço de streaming de música Superplayer, que permite escutar durante o voo os hits mais populares do mundo.

Algumas companhias, como Latam e Gol, disponibilizam ainda os conteúdos de seus serviços de entretenimento de bordo -dezenas de filmes, séries de TV, documentários e mapa de voo- para acesso nos dispositivos móveis dos passageiros, sem custo e sem necessidade de internet.

Mario Kanno/Estúdio Folha

PRIMEIRA NECESSIDADE

O crescimento dos serviços de internet a bordo atende a uma demanda da nova geração de passageiros, que considera Wi-Fi artigo de primeira necessidade. Uma pesquisa da GfK feita para a Inmarsat, empresa que fornece serviços de comunicação via satélite, mostra que 60% dos passageiros acredita que Wi-Fi a bordo é necessidade e não luxo. No Brasil, 53% concordam com a frase.

A GfK ouviu 9 mil passageiros em 18 países, incluindo o Brasil. O estudo revela ainda que Wi-Fi é hoje um dos três fatores determinantes para a escolha de uma companhia aérea no mundo, atrás apenas de preço e conveniência de horário do voo.  "Wi-Fi de alta qualidade a bordo está mudando a maneira de pensar das pessoas ao voar e como elas passam seu tempo no ar. Seja usando o tempo online a bordo para trabalhar, se conectar com a família e amigos, fazendo compras ou assistindo entretenimento, a disponibilidade da banda larga a bordo se tornou um fator importante na escolha de uma companhia aérea", diz Raymundo Villar, Diretor Regional da América Latina na Inmarsat Aviation.

Segundo ele, os passageiros brasileiros estão expostos ao que há de mais novo em termos de tecnologia no mundo e demandam os mesmos serviços no Brasil. "Os passageiros brasileiros são tão sofisticados quanto os de outras regiões. Eles foram expostos a serviços, tanto no Brasil quanto no exterior, no que diz respeito à experiência do passageiro. Por exemplo, eles sabem que eles têm a opção de assistir à TV ao vivo enquanto voam [serviço disponível na Azul], ou começar a experimentar conectividade em voo a nível local [na Avianca e na Gol]. Portanto, os serviços oferecidos no Brasil são comparáveis aos oferecidos nos Estados Unidos, ou em alguns países da Europa."

Além de ser encarado como artigo de primeira necessidade, a maioria dos passageiros latino-americanos entrevistados na pesquisa da GfK (54%) dizem que "o Wi-Fi tiraria a ansiedade de voar porque poderia ficar em contato com as pessoas em solo". O percentual sobe para 57% quando os respondentes têm filhos.

Publicidade
Publicidade