Festival de Joinville tem três mulheres como curadoras; conheça

Não é tarefa fácil definir a programação de um evento que atrai a atenção de profissionais e admiradores de dança do mundo todo. Nesta 35ª edição do Festival de Joinville, que acontece de 18 a 29 de julho na cidade catarinense, três especialistas foram convidadas para assinar a curadoria artística: Ana Botafogo, Mônica Mion e Thereza Rocha.

Divulgação
A partir da esq.: Thereza Rocha, Mônica Mion e Ana Botafogo
A partir da esq.: Thereza Rocha, Mônica Mion e Ana Botafogo

Primeira bailarina do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Ana Botafogo já participou diversas vezes do festival nos palcos, e agora, pela primeira vez, faz parte do conselho de curadoria - que precisou escolher 1.327 coreografias dentre os mais de 3.200 trabalhos inscritos. A artista diz que ao longo dos anos pode "avaliar o crescimento e aperfeiçoamento deste que é o maior Festival de Dança das Américas".

Mônica Mion, outra que assina a curadoria, é bacharel em comunicação das artes do corpo e formada pelo Centro de Dança Internacional Rosella Hightower, em Cannes, na França. Sobre o festival, que terá 240 horas de espetáculos divididos nas categorias Mostra Competitiva, Meia Ponta e Palcos Abertos, ela destaca o leque cada vez maior de cursos, mostras e companhias convidadas, "oferecendo uma diversidade de estilos incomparável".

Já Thereza Rocha, doutora em artes cênicas e pesquisadora, é curadora do evento desde 2016. Ela observa que, ao longo dos anos, o festival passou a integrar cada vez mais atividades, atraindo pessoas interessadas tanto nos espetáculos quanto nos seminários, por exemplo. "O caráter formativo está sempre lá."

Publicidade
Publicidade