Confiança

Novos negócios com mais segurança

Avaliar fornecedores ajuda na prevenção contra fraudes e desvios éticos

Entenda o que é compliance

São muitos os benefícios de um programa de compliance. Uma empresa que investe em controles internos rígidos e cria um código de ética e conduta que é levado a sério por todos os funcionários consegue reduzir os riscos de fraudes e desvios éticos, fortalece a cultura e ainda protege sua imagem e reputação. Hoje, porém, não basta ter um programa de integridade bem calibrado apenas da porta para dentro.

Tem sido uma preocupação cada vez maior das empresas conhecer muito bem seus fornecedores e parceiros de negócios e os potenciais riscos envolvidos nessas relações. Isso porque a Lei Anticorrupção estabelece que toda empresa pode ser responsabilizada por atos de corrupção praticados por terceiros em seu interesse ou benefício.

A saída é se proteger. Uma das práticas do compliance estabelece mecanismos para checar a idoneidade dos fornecedores e classificar seu potencial de risco. Avalia-se desde a saúde financeira e os processos judiciais até as práticas de negócios, o envolvimento em ações duvidosas e a política para a distribuição de brindes.

Na Petrobras, essa avaliação dos fornecedores é feita por meio de um programa chamado DDI (Due Diligence de Integridade).

O programa tem como objetivo aumentar a segurança na contratação de bens e serviços e mitigar eventuais riscos no relacionamento com os fornecedores.

Hoje, para se tornar um parceiro de negócios da Petrobras, é preciso responder a um conjunto de questionamentos. Depois, os fornecedores são submetidos a verificações de integridade que analisam a reputação, a idoneidade e as práticas utilizadas para coibir possíveis desvios de ética e conduta. "Com todas essas informações em mãos, fazemos uma avaliação das empresas com as quais a Petrobras vai se relacionar", afirma Márcio Campanelli, gerente executivo de conformidade da empresa.

Os fornecedores recebem então uma nota final de avaliação, que influencia todo o processo de contratação. Segundo Campanelli, têm sido constantes também a comunicação interna e o treinamento dos funcionários da Petrobras que lidam com fornecedores. "Mostramos os cuidados que todos devem ter em mente nesse tipo de relacionamento e até a política interna para brindes e presentes, que determina o que um funcionário pode ou não receber", diz. A verificação da idoneidade dos parceiros é realizada anualmente na renovação do cadastro.

Os canais de denúncia são outra ferramenta do compliance que vem sendo cada vez mais utilizada pelas empresas. Por meio deles, funcionários, clientes ou fornecedores podem reportar, de forma anônima ou não, problemas dos mais variados tipos. Na Petrobras, esse canal é terceirizado e sigiloso. "Funcionários da companhia ou os fornecedores podem denunciar qualquer evento que tenha ocorrido durante um processo de contratação. Toda denúncia é registrada e apurada", afirma Campanelli.

A empresa brasileira de tecnologia Totvs também terceirizou seu canal de denúncia. "Isso gerou uma maior confiança nas pessoas", afirma Silvio Menezes, diretor de risco, controle e compliance da Totvs. Além dos funcionários, os fornecedores da empresa também têm acesso ao canal. A medida faz todo o sentido. Uma pesquisa da Associação Internacional de Investigadores de Fraudes aponta que 40% dos desvios de conduta descobertos pelas empresas são revelados por denúncias de funcionários ou fornecedores.

Publicidade
Publicidade